Sou Programador!

É comum na universidade voce encontrar gente que não se dá bem com algoritmos e planeja  migrar (sic) para áreas "gerenciais". Isso é típico de quem entrou no curso de computação porque a concorrência de Fisioterapia estava maior na época de seu vestibular.

Mas antes que rotulem esse post de algo, quero deixar claro que existem aqueles que migram para a área gerencial por causa do salário e aqueles que migram por … como direi… não rolar uma "química" entre eles e os algoritmos. É comum voce ouvir: "-me cansei disso, pretendo virar gerente de projetos".

Ano passado uma menina praticamente formanda se perguntava qual a serventia de um banco de dados, esse tipo de gente é mais comum do que se pensa, não tenho estatística nem ninguem tem que eu saiba, mas creio por experiência de ministrar cursos, palestras e participações em eventos sobre programação que se não for maioria, esse pessoal no mínimo é a metade do contigente da área.

Alguns acham que regulamentação da profissão evita esse tipo de profissional, eu afirmo que não, porque se ela consegue cursar 8 semestres sobre integrais e derivadas ou estatistica computacional e consegue se formar, quem garante que um conselho ou guilda qualquer evitará que esse profissional seja um analista ou pior… um CIO?

O nível anda tão baixo que ainda existem dúvidas se um profissional deve conhecer mais de uma linguagem de programação, ora, se o profissional aprende como construir uma linguagem (pelo menos deve aprender já que qualquer curso de Ciência da Computação ensina isso), qual a dificuldade de aprender 5 ou 10 linguagens diferentes?

Eu nem considero linguagens diferentes aquelas que somente modificam a sintaxe de determinados ADTs ou sentenças, mas sim aquelas que são construídas para contextos diferentes. Java e C++ são linguagens diferentes? humm… Java e LISP são!

Isso merece um post a parte, portanto não farei juízo de valores sobre isso nesse post.

Não deixe que a Universidade atrapalhe seus estudos

Em um post passado, evidenciei o fato da burocracia escolar ser um empecilho ao desenvolvimento pessoal, todo estudo é um auto-estudo, ninguem pode ditar o que outro tenha que aprender, é uma escolha pessoal e por mais que isso pareça temeroso e sombrio, voce está sozinho.

Portanto, não deixe que a escola atrapalhe seus estudos, mas nunca abandone a universidade, mesmo depois de formado, se não há tempo, invente um mestrado, pós ou especialização. O contato com o meio acadêmico é de vital importância ao  programador, esse contato oxigena as idéias, afasta um pouco o apelo comercial que tanto o mercado exige.

O academicismo as vezes é benéfico, te desregula da própria não-regra, evita que voce considere padrões como gambiarras e abres os olhos do programador para questões mais profundas.

Sou um programador

Divirto-me com os códigos saídos do meu teclado, se tem uma expressão de mais-valia (da marxista luta de classes) mais precisa, é a programação. Um software nada mais é que uma idéia armazenada na forma de bits, soluções para processos humanos transformados em um emaranhado de fórmulas e algoritmos. Quando voce desenvolve um software ou parte dele, mesmo que terceirizado por outro para tal tarefa, voce está projetando o seu "eu" naquele software. "Os meios de produção" é a sua mente, talves o fator que mais provoca fracasso nos projetos que presenciei esse fracasso foi tentar "desumanizar" o software, tentar por meio de processo ou metodologia de desenvolvimento que qualquer um chegue e altere uma criação de outro artista.

Ninguem chega e altera uma obra de "Michelangelo" (não é a tartaruga ninja, é o … deixa pra lá), talves seja pretensão minha, mas os programas são obras artísticas, não são meros produtos industriais, analogia com prédios da construção civil também não tem refletido muito sucesso nas últimas décadas.

Sou um programador, apenas isso, pode chamar de desenvolvedor, analista, anapropégua! Mas na verdade somos desenvolvedores.

Há quem queira ser analista, ou desenvolvedor ou até Gerente de Projetos, rótulos criados para caberem nas teorias administrativas e distribuir organograma colorido na empresa. Besteira, Bullshit!

Porque programadores recebem menos?

Recentemente travei uma dessas discussões homéricas sobre um fato que as vezes passa despercebido, que um gerente PMBOK genérico não serve para projetos de Engenharia de Software. Uns acham que sim, que qualquer um com teoria sobre gerência de projetos consegue controlar um projeto computacional, eu afirmo categoricamente que não, se o Gerente não foi programador (não vale ter sido estagiário que normalmente é chamado de programador) ele não conseguirá controlar o projeto satisfatoriamente.

Lembro de um projeto recente na SEAD que o suposto "gerente" em meio a uma reunião, apertado por todos os lado, fala: "-háaa! o cronograma não está assim tão atrasado, os riscos estão em dia", sobre um projeto que não tinha uma linha de código funcional, não passava da tela de login, já consumira 3/4 do tempo, centenas de páginas de documentação desnecessária e rodado metade da população do estado no projeto.

O principal fator de uma empresa de software é o programador, é ele o sucesso ou o  fracasso, mas só ganha 1/3 do que ganha um Gerente, isso na mais otimista das hipóteses.

O problema é a hierarquia artificial criada pelo mercado e legitimada pelo meio acadêmico de que o programador é o novato, o inexperiente. O programador veterano que entende de análise é apropriadamente (reconheço) chamado de analista, mas… pera aí! Ele continua sendo um programador. Criou-se o programador (reles servil, geralmente estagiário), o analista, o arquiteto (ui) e o gerente, estou ainda desconsiderando as carreiras intermediárias ou artificiais como engenheiro de especificação, arquiteto de configuração, programador de testes e variantes. Virou uma zona, o Gerente as vezes sequer sabe reconhecer um fluxo condicional, o arquiteto não conhece a arquitetura (ironia?) de determinada plataforma, e o desenvolvedor não sabe desenvolver algoritmos, apenas desenhar no IBM Rational Rose.

O programador de verdade conhece UML, entende como funciona RUP e métodos ágeis, sabe instalar e configurar não só as ferramentas auxiliares no processo de desenvolvimento, mas faz tuning no SO e poderia gerenciar um projeto satisfatoriamente, mas isso é quebrar o Status Quo estabelecido… onde esses revolucionários vão parar mesmo? 

Pague o salário de programador acima do salário de gerente e veja na próxima entrevista o nível dos candidatos, é uma dica! Sei que ninguem vai levar a sério.

Como escolher um programador

Em recente projeto que graças a Odin não participei, consideraram o fator humano um risco de nível intermediário e as ferramentas usadas no projeto de risco alto. Esse é o tipo de projeto que pede de cara para fracassar, nem nasceu e já considera um profissional, o artista, aquele que dará vida, o "faça-se a luz" no sistema como sendo mero insumo em uma cadeia produtiva similar a um chão de fábrica na indústria.

Dois posts recentes falaram sobre como escolher um profissional decente. Um foi esse post do José Oliveira e outro foi esse do Vítor no embalo do Zé que prontamente completou

Não tenho muito a completar sobre as excelentes dicas que deram, mas gostaria de dar somente dois pitacos:

1 – Não terceirizar a escolha do candidato, entrevistar pessoalmente, o olho-no-olho revela todos os segredos;

2 – Não deixar os títulos sobrepujarem a experiência, experiência não tem preço. Claro que não estou confundindo experiência com tempo na área.

3 – Verificar a vida do sujeito, conhecidos, comunidades que frequenta, postura diante dessas comunidades, vê se ele se encaixa realmente na cultura da empresa.

Sei sei, eu disse que eram dois pitacos, mas depois de "cálculo 2" perdi qualquer noção de matemática básica 🙂 

8 thoughts on “Sou Programador!”

  1. gostei do post
    estou começando minha vida de estagiário.. faço sistemas de informação na estácio
    e ando confuso em relação a isso “Há quem queira ser analista, ou desenvolvedor ou até Gerente de Projetos.”
    então estava navegando pra ver se fiko menos confuso, e axei seu post!
    e em relação a “Porque programadores recebem menos?” fikei impressionado, pois não sabia disso.
    estou no 2 periodo, e começei a me enrolar com programação para internet e c .. ja logica matematica, fundamentos da matematica discreta, modelagem de dados, estou bem
    e começei a pensar em deixar programação de lado =p
    enfim.. se puder me dar uma luz, agradeço!
    meu e-mail é gabrielcunha2000@hotmail.com
    obrigadoo

  2. Estou procurando programador para firmar parceria em um programa
    nao sou programador mais sei muito bem como funcina poi ja usei muito
    ganhos acima de 2 mil por semana (8 mil mes)…
    obs: E coisa ilegal, entao me procure somente se realmente estiver enteressado

    me mande seu msn neste e-mail: melantana@gmail.com

Comments are closed.