Extrair relevância da cultura do inútil

{ May 11th, 2008 }


cmilfont

Autor: cmilfont

Orkut é inútil, Twitter é inútil, web 2.0 é inútil, a própria web é inútil.

Esse primeiro parágrafo foi escrito para repetir alguns “mantras” que sempre tenho ouvido de leigos e supostos especialistas sobre a cultura digital que poucos entendem mas todos opinam. Além do benefício de espantar logo as salsinhas que só lêem título e primeiro parágrafo, jogar pérolas aos porcos custa caro.

Toda a blogosfera “intelectual” brasiliana promete que cometeu orkutcídio por essa rede social ser inútil, apesar que sabemos que criaram um perfil “fake” para bisbilhotar as fotinhas das ninfetinhas cuti-cutis e frequentar aquelas comunidades de sempre e seus joguinhos “Com quem a pessoa acima se parece”. Um fato é que somente Indianos, Iranianos e Brasilianos frequentam o Orkut e os motivos para isso encabulam o mundo, além de fazer parte do meu TODO List para tentar compreender movimentos de massas.

Orkut é mais inútil que Facebook ou MySpace ou mesmo Linkedin conforme alguns “especialistas”. Se ambas são ferramentas para redes sociais, então o problema deve ser nas pessoas que as frequentam. Depois da invasão bárbara foi que começou esse movimento de orkutcídio para valer, até hoje alguém reclama sobre a pseudo-inutilidade-orkutiana.

Na última Info Exame que li o Dvorak fala que Twitter é inútil, coisa de egocêntrico. Que ninguém se interessa por aquele negócio de: “estou no sofá da sala assistindo sessão da tarde”.

Extraindo relevância

Bem, o Orkut foi o local que mais conheci gente interessante intelectualmente, referência a obras fantásticas que nem sonhava que existiam, discussões com pessoas de outras culturas em outros idiomas, contato com jornalistas interessantíssimos (como Janer Cristaldo) e discussões prazerosas sobre política, religião, economia, ideologias e ciências. Participo de comunidades sobre séries de televisão que economizam um bocado de tempo no search do google, comunidades sobre gadgets que centralizam opiniões de quem os possui e problemas enfrentados, comunidades sobre bandas ou cantores dos quais sou fan e conheço fatos importantes como alguem bootleg que eu não conhecia.

Claro que há todo o reverso de inutilidades para minhas necessidades que dependem mais de eu não ter o controle sobre determinados comportamentos como no caso de mensagens de spammers, mas no balanço geral o Orkut para mim é útil. Não entro em comunidades que me convidam que não me interessa, não aceito perfis aparentemente fakes (com o objetivo claro de zoar sem qualquer relação de conhecimento mútuo), não entro em discussões sem nexo como “beijaria ou chutaria?”.

Quando implementamos o blog da Setur-CE sobre a participação na ABAV 2007 o Twitter funcionou como um canal útil de informações quase em tempo real sobre o que acontecia na feira, pilotado pelo Hélcio do FundamentalConteudo.

Assino o Twitter dos maiores especialistas brasileiros de desenvolvimento de software (além de outras nacionalidades) e acompanho o movimento desses caras em uma espécie de tempo real com suas indicações e sugestões, só por esse motivo o Twitter já é imprescindível para mim.

Será que Twitter ou o Orkut são inúteis ou aquele cara que não sabe extrair conteúdo relevante dos prosumidores certos?

Categories: blogosfera, crowds ~ ~ Trackback


Assine os comentários deste artigo.


8 Responses to “Extrair relevância da cultura do inútil”

  1. 1
    Rafael Carneiro

    Como esses serviços são inúteis se os mesmos salvam
    pessoas? No link acima tem um post de um estudante que foi salvo pelo Twitter.

    Tive Orkut há uns três anos e também tenho as mesmas opiniões que você, como conhecer pessoas, rever conhecidos, obter boas referências de livros e autores, etc.

    Vejo muita gente que utiliza computadores apenas para utilizar Instant Messages e redes sociais, como o Orkut. E nada mais que isso, sério!

    Infelizmente isso ocorre no Brasil, pela falta de cultura e educação das pessoas. Vejo a internet como a melhor enciclopédia e o melhor local para se aprender no mundo. Aprender de tudo, desde biologia até astrologia, matemática até física, culinária até ciências humanas.

    Enquanto o povo brasileiro não for educado para utilizar os meios de aprendizagem e educação em prol de melhorar suas aptidões, isso continuirá sendo falado por “especialistas”.

  2. 2
    Mário Aragão

    Claro que eles têm sua relevância, discutia outro dia a insistência da polícia brasileira em querer fechar o Orkut, “caso não colaborassem”…

    www1 folha uol com br/folha/informatica/ult124u390292.shtml (coloquem os pontos)

    Os caras arrumaram um grande filão para conseguir pegar pedófilos, que é o Orkut, ai ficam nessa algazarra toda e com essa de impedir o sistema no Brasil, como se fechar resolvesse o caso da pedofilia.

    Antes eles sequer chegavam aos pedófilos, agora culpam o sistema de ser um abrigo de pedófilos, ao invés de dizer: – Que ótimo, achamos os fdp!

    Culpar o sistema por conta dos maus usuários é tolice.

  3. 3
    Helcio

    Se os usuários adotam e se relacionam pela plataforma, ela é viva e portanto já tem utilidade inquestionável.

    Aliás, semana passada eu estava com um gringo gravando no Cumbuco, vimos uma casa sensacional pra alugar pertencente ao sr. Milfont. Não sabia que o amigo tinha tantas posses. Vê se convida pra um churrasco lá! :)

    Abs

  4. 4
    Business em meio a tantas conexões | Fundamental Vídeo-Conteúdo

    […] carona no interessante post do Milfont “Extrair relevância da cultura do inútil”, que trata de tirar de um injusto, e absolutamente falso limbo redes como Orkut e Twitter, voltei […]

  5. 5
    Mário Aragão

    O Milfont é cheio da nota mesmo, sábado a noitinha o vi lá no Iguatemi comprando montanhas de presentes… rsss

  6. 6
    cmilfont

    @Rafael Carneiro, educação por si só não é o suficiente, a cultura não é feita apenas de estudo formal, precisamos antes de tudo que o povo leia.

    @Mário Aragão, realmente essa história de “tirar o sofá da sala por causa da traição da esposa e não culpar a esposa” é uma das burrices mais gritantes que existem, pior que todo o sistema jurídico ainda vai na onda.

    @Helcio, não tenho nada, sou um liso, deve ser de outro Milfont, não existe apenas eu, não sou o Highlander da família :) pior que meu pai tem uns tios ricos que me ignoram por completo.

    @Mário Aragão[2] comprando fiado sem previsão de pagamento :)

  7. 7
    Mário Aragão - Desopilando » Blog Archive » “Justiça” Brasil X Google

    […] ferramenta. Nesse caso, culpam o Orkut por “acobertar” pedófilos, como já comentei em outros lugares, acho que é justamente o contrário o sistema é o grande filão da pedofilia, antes não se […]

  8. 8
    O Mundo Em Que Vivemos - Milfont Consulting

    […] feito por todos envolve toda a concepção dessa nova onda, claro que respeitando formas de extrair cultura útil ou não. Evidente que o foco passa do grupo para o indivíduo, daquilo de que se considera algo útil ou […]

Leave a Reply