Corrida de rua, o esporte mais democrático

Imagine um esporte aonde a torcida pode jogar, esse esporte existe e ele se chama Corrida de Rua – principalmente. Nos últimos anos é visível o crescimento, disputei nesse domingo (01/06/2012) a 11º Maratona de Revezamento Pão de Açucar Fortaleza – fiz duas voltas na minha equipe de 8 pessoas, 7 no nosso caso.

DSC_0922

Estava estimado um público participante de 10 mil inscritos, segundo a organização foram 11 mil, tinha gente à beça. A magia de participar de um evento de corrida é inebriante e um mercado muito promissor, porque imagine só, você quando vai fazer uma corrida dessas imagina que não vai gastar nada a não ser o valor das inscrições, ledo engano.

É uma falsa verdade imaginar que não há custo, esse custo é diluído a medida que voce se “profissionaliza” amadoristicamente. Vejo muitos exemplos, o sujeito já tem um tênis que ele nem sabe se é apropriado, aliás, nem sabe que há tênis apropriado, põe um bermuda folgada e uma camisa regata, pronto.

Esporte Barato

Quando voce se tornar refém do esporte comprará monitor cardíaco, escolherá um tênis apropriado pelo seu tipo de pisada, pagará provavelmente uma assessoria, fora a compra de acessórios aos montes como Squeezes – senão um cinto de hidratação – e óculos escuros.

Imagine a oportunidade em volta desse esporte, fora os mecanismos tradicionais de monetização como marketing, patrocínios, academias. Só que é um esporte aonde você entra com um custo bastante diluído como o exemplo acima citado, mete um tênis, bermuda e regata apenas, material que você já tem. Não tem como competir com esse custo.

Se voce vai participar de competições de artes marciais por exemplo, tem a vestimenta tradicional do seu estilo. Se vai para um tiro esportivo ou arco e flecha vai ter o custo altíssimo do equipamento. Se vai para o futebol vai ter que comprar chuteiras e materiais para jogar na lama de alguma divisão de bairros ou categorias empresariais.

Custos e Oportunidades

Na corrida de rua você corre “ao lado” do campeão, entre os profissionais, com a mesma chance de glamour que as estrelas – eu devo ter saído em alguma foto atrás dos ídolos. Não é a mesma coisa de jogar num campeonato de subúrbio com o time da firma ou repartição.

DSC_0930

Imagina um esporte que consiga baixar esse custo e diluir de forma imperceptível enquanto o praticante se apaixona pela cultura? Mais do que isso,  transformar o torcedor em praticante e o tornar um consumidor potencial.

O MMA principalmente via UFC é talvez o esporte que mais cresça em faturamento e visibilidade, só que é um esporte aonde a torcida não pode participar, precisa de um treinamento profissional para entrar na arena. É o mesmo paradigma do futebol.

Hoje com a economia de cauda longa aonde o prosumer (consumidor-produtor) é o condutor das iniciativas faz mais sentido um esporte como corrida de rua do que o MMA.

Talvez o Submission fosse uma alternativa para o caso do universo de lutas, mesmo assim pela cultura competitiva e disputa mano-a-mano eu acho muito difícil criar uma estrutura que beneficie a participação dos amadores.

Fica aí um desafio para os envolvidos com negócios esportivos, corrida de rua consegue acompanhar a onda do amador praticante, seu esporte consegue?

Minhas Estatísticas na prova

Eu estava visivelmente despreparado, voltei a treinar apenas há um mês depois de quase dois anos sem preparação para corridas. Agora é “correr” atrás do prejuízo. De qualquer forma mesmo despreparado eu participei, algo impossível em todos os outros esportes.

Primeiro trecho

Segundo trecho

2 thoughts on “Corrida de rua, o esporte mais democrático

  1. Rodrigo Galba

    Poxa Milfont, ontem mesmo quandoe estava lá na corriga,pensei num post sobre o assunto! Realmente é o tipo de evento que envolve, sem contar que faz muito bem a saúde.

Comments are closed.